Spring Festival

Três semanas se passaram desde meu último post. Esta ausência não foi por falta de vontade, mas talvez por não me sentir preparada para relatar o novo tipo de vivência que este pitstop em Guilin (sul da China) está me proporcionando. Até então: muitos lugares, muitas fotos, muitas histórias inusitadas, muitas aventuras. Compartilhar tudo isso não foi muito complicado. Agora: bem… hmm… como começar?

Alguns posts lá atrás mencionei que uma das minhas intenções era conhecer um pouco mais a fundo a cultura, as pessoas, a história, o idioma da China. Pois então: esse tem sido meu projeto nessa etapa. Entrei em um intensivão de chinês, no nível mais básico, onde tenho 4 horas de aula por dia. Parece pouco, mas ao final do dia meus neurônios (coitados!) torcem desesperadamente para que eu encontre algum lusófono e finalmente dê a eles algum descanso! Mas por aqui quase não há falantes do português… o mais próximo que encontrei foram um espanhol e uma mexicana. De resto, só inglês e, bem, chinês.

O curso tem cerca de outros 20 estudantes ocidentais. A grande maioria busca aprender o idioma por motivos profissionais: negócios, relações internacionais, administração, etc… Outros malucos, como eu, aprendem porque gostam. Quase todos, inclusive eu, moram nos dormitórios da escola: vivemos e respiramos chinês diariamente, o dia todo. Mas, infelizmente, isso não torna nosso aprendizado menos desafiador. O chinês impõe aos falantes das línguas romanas e germânicas alguns obstáculos muito difíceis de se transpor. Mas sobre isso falo em outro post.

A escola tem cerca de uns 12 professores, todos entre seus 20 e 30 anos, formados em inglês ou em chinês, ávidos por conhecer mais sobre o mundo ocidental e o que há além da grande muralha chinesa. Além da barreira natural decorrente do idioma e da cultura, os chineses enfrentam outra muralha, desta vez imposta pelo governo. Ainda que a China esteja hoje muito mais aberta ao ocidente, com a presença de vários turistas e muito comércio com países ocidentais, o governo chinês ainda controla essa abertura. Alguns exemplos: o noticiário da televisão não é independente, mas pertence ao governo; tirar passaporte pode ser abusivamente caro, portanto pouquíssimos chineses viajam ao exterior; aqui, a dupla nacionalidade não é permitida; isto sem falar na Internet: centenas de sites são bloqueados (facebook é um deles), e os que não são, têm seu conteúdo monitorado. Eu não poderia escrever neste blog e falar da China não fosse um esqueminha para transpor a muralha…

Toda segunda-feira eu e alguns outros chineses vão jantar na casa de uma senhora que prepara a melhor comida vegetariana que já comi aqui na China. Todos lá são vegetarianos. Encontrar esse pessoal foi definitivamente um presente dos meus anjos. Após o jantar temos aula sobre assuntos variados da Medicina Tradicional Chinesa. Por sorte (ou mais um presente), um americano chamado Alan, que já mora há 9 anos na China, traduz as aulas para mim. O professor é um jovem do norte da China formado em medicina ocidental, mas que possui um grande interesse pela medicina chinesa, em parte porque seu avô era um grande conhecedor da mesma. Não é muito comum aqui no país, hoje em dia, encontrar jovens interessados em aprender sobre a sabedoria milenar chinesa. A maioria está mais interessada em fazer dinheiro, ter um emprego estável, um bom carro, um apartamento, e por aí vai… Muitos jovens me disseram que praticar Tai Chi é coisa de velho. Talvez um impacto negativo dessa abertura para o ocidente seja o deslumbre com as tentações do mundo capitalista e o descaso em relação às aspirações da alma e à constituição do corpo/mente, tão bem explorados no oriente. Já vimos esse filme antes, infelizmente.

O natal, como mostrei no meu último relato, não é muito comemorado aqui no país. A data 31 de dezembro também não significa muito para eles. Mas, em compensação, estas duas próximas semanas são as mais comemoradas em toda a China. E reitero: em toda a China. São duas semanas em que acontece o Spring Festival, a passagem do ano chinês. Mas, por que o ano começa agora? E por que se chama Spring se estamos no meio do inverno? Bem, o ano aqui é diferente. Embora eles utilizem o calendário gregoriano para as atividades do dia-a-dia, as festas e os feriados são todos de acordo com o calendário lunar (ou agrícola). Nestas duas semanas em que o ano do coelho se vai e entra o ano do dragão, a China pára!!! Existe uma realocação em massa de pessoas: milhões e milhões voltam para suas casas! Os meios de transporte ficam lotados, os restaurantes e as lojas fecham, as empresas dão folga, e os membros das famílias se reencontram depois de um exaustivo ano de trabalho para celebrarem juntos a chegada do novo ano. Presenciar isso está sendo muito especial!

Meus anjos mais uma vez se manifestaram: fui convidada a celebrar a noite do ano novo na casa da senhora vegetariana!  Nham nham, que delícia! Será na noite do dia 22 de janeiro.

Será que teremos fogos de artifício por aqui também? Eu aposto que sim…

This entry was posted in Viagens. Bookmark the permalink.

6 Responses to Spring Festival

  1. jorge langone says:

    Chan!
    Aproveite cada segundo, que é o que parece que andas fazendo. Muito bom ler os seus textos e saber que anda com um “esqueminha” para nos passar informações tão valiosas dessa sua experiência.
    um beijo
    jorge

    • admin says:

      Hehehe… pois é, a gente precisa aprender a se virar aqui na China! Não é mole, não!
      Beijo grande!

  2. celso says:

    Chan, Esta é uma situação em que você esta sendo abençoada. Não no sentido da sorte, pois é o resultado que você esta buscando pelo seu próprio esforço, mas sim no sentido de ser uma experiencia unica da qual você esta tirando o máximo de proveito! Parabéns! e quanto ao blog gostgarfia de deixarf claro que eu ja estava com saudades de dar uma é

  3. celso says:

    oops! saiu do texto no meio!!! mas o que eu estava dizendo é que ‘dar uma espiadinha’ no seu blog é infinitamente melhor do que estes BBBs da vida que continuam acontecendo por aqui para o nosso azar. Continue escrevendo para o deleite dos seus leitores ávidos. Bjs

    • admin says:

      … está deixando saudades! Mas, cá entre nós, não é muito mérito ser infinitamente melhor que esses BBBs… acho que até o Programa do Gugu deve ser! Hahaha!
      Mas mesmo assim obrigada pelo apoio, Celso!
      Beijo grande!

Comments are closed.