Shangri-Lá

Só o nome já instiga. Quando descobri que a cidade de Shangri-Lá estava a poucas horas de um dos meus possíveis destinos (Lijiang), não tive dúvidas de que eu iria parar lá.

Muito misticismo ao redor deste nome que, até hoje, não se sabe seu exato local. Alguns dizem ser no Tibete, outros dizem estar em território chinês. Mas todos descrevem um paraíso escondido, com montanhas cobertas de neve e uma natureza exuberante.

Se esta cidade onde vim parar é ou não a verdadeira e original Shangri-Lá, ninguém pode responder. Possivelmente é somente uma jogada de marketing por parte do governo chinês. Mesmo assim, esta pequena cidade no norte da província de Yunnan oferece algumas belas paisagens aos que ousam encarar o frio do início de novembro. Sim, aqui o frio impera!!! De noite, -4°C. Nem ouso colocar os pés fora do nosso hostel após o pôr-do-sol. De dia, máximas de 10°C. Foi aqui que mais uma vez me surpreendi com o talento do ser humano para promover seu próprio conforto. Nós, do Brasil, pouco conhecemos sobre o frio, mas quem convive com temperaturas tão baixas (e olhem que ainda nem chegou o inverno!) se vê obrigado a encontrar formas de tornar suas vidas mais agradáveis. E eles encontraram: em cada cama do hostel, um lençol elétrico! Quando ligado, aquece a cama!! Não é fantástico!? Deitar em uma cama já quentinha?!

Shangri-Lá também possui um bairro antigo e um bairro novo. No antigo, assim como em Dali e Lijiang, ruas de pedra e construções baixas. A população é, em grande parte, de tibetanos. De fato, muitas das placas e dos nomes pelas ruas estão escritos em tibetano, além do chinês. Na praça, a cada noite os habitantes se reúnem para dançar, em roda, ao som da música típica do Tibete. Na primeira noite, de tão empolgada que estava, encarei o frio e me juntei à roda de dança! Mas não por muito tempo, infelizmente. Logo logo tivemos que procurar um local fechado e fazer novamente o sangue circular nos pés e nas mãos!

No dia seguinte fomos visitar o monastério budista Songzanlin. Chegamos lá em um dia frio mas ensolarado, e ficamos encantados com a beleza do local! Lindas imagens (thangkas) enfeitavam as paredes do monastério, bandeiras coloridas com escritos em tibetano balançavam com o vento, várias pessoas, monges ou não, acendendo incensos… tudo muito auspicioso!

Monastério Budista
Monastério Budista
Bandeiras Tibetanas
Bandeiras Tibetanas
Reza
Reza
Thangka Tibetana
Thangka Tibetana

De volta a Shangri-Lá, jantei na praça uns espetinhos de cogumelo deliciosos, bem picantes. Ainda bem que me dou bem com comida apimentada. Ser vegetariana já reduz imensamente as minhas possibilidades gastronômicas por aqui. Se ainda por cima não gostasse de pimenta, eu estaria lascada!

A 4 horas de Shangri-Lá encontram-se uns “terraços naturais” de calcário! As fotos na Internet eram lindas, e resolvi conferir ao vivo! Já na estação de ônibus, me surpreendo com uma vestimenta que até então nunca havia visto! Um chapéu preto plano em forma de losango. Vejam:

Vestimenta Diferente
Vestimenta Diferente

Essas 2 senhoras pegaram o mesmo ônibus que eu, e saltaram em um vilarejo perdido no meio da estrada. Uma meia-hora de lá, o ônibus pára na vila de Baishutai. Ali que tenho que saltar. A vila não devia ter mais que 100 pessoas, e exibiu um lado rural da China até então desconhecido por mim. Casas muito simples, camponeses trabalhando a terra, milhos pendurados secando… e quase nenhum turista!

Milho Secando
Milho Secando
Baishutai
Baishutai

E os terraços, ah, que maravilha! Mais uma obra-prima da natureza!

Terraços
Terraços
Terraços
Terraços

Daqui, se não quiser um frio ainda pior que o de Shangri-Lá, não tenho muita alternativa senão recuar. Meu próximo destino é Chengdu, na província de Sichuan. Mas meu trajeto até lá será meio longo. Ônibus de volta a Lijian, trem de volta a Kunming e, enfim, um vôo de 1h para Chengdu. Lá devo ver pandas, algumas outras belezas naturais, fazer algumas compras nos gigantescos shoppings chineses, e comer muita comida apimentada! A culinária de Sichuan é conhecida por seus pratos especialmente apimentados!!! Nham nham!

This entry was posted in Viagens. Bookmark the permalink.

6 Responses to Shangri-Lá

  1. Fala Chan!

    Tô aqui na área, curtindo seu blog e viajando contigo. Paz e luz nessa sua jornada! E uma boa dose de sorte, né? Não faz mal a ninguém….rsrs!

    Beijão!
    Cela

    • admin says:

      Oi Cela!!!! Que legal te ver por aqui! Super obrigada pela força!!! E, com certeza, aqui na China a sorte é um ingrediente fundamental!!!
      Beijo grande!

  2. Marcia Barros says:

    Chan,
    que louco estes terraços. Já conhecia de power point. E os milhos, que lindo!!!Mas tá faceira, hein?já querendo ir ao shopping. Tomara que consiga ver os pandas. Fica bem. Bj,
    Marcia

    • admin says:

      Hahaha… o lance do shopping é porque aqui tudo é mais em conta… só não dá para confiar muito na qualidade, né? Tudo “Made in China”. Mas acabei não comprando nada, no fim das contas. Acho que em Hong Kong é mais barato ainda, e os produtos mais confiáveis.
      Os terraços são realmente divinos. E os pandas, você vai ver que fofura no próximo post! Uma graça!
      Beijossss

  3. marcia rocha says:

    Oi, Chan.
    To aqui te acompanhando e adorando. Para mim, perua q sou, so mesmo deitada na cama e pelo laptop consigo fazer essa viagem.
    Bj, Marcia

    • admin says:

      Marcia Barbie! Seja muito bem-vinda por aqui!!! Que bom que dá para pelo menos curtir da cama! rsrs
      Mas acho que tem espaço para passeios menos aventureiros por aqui! Quem sabe o povo não anima de organizar um comboio, contratar um guia e tal?!
      Beijo grande!

Comments are closed.