Por Essas E Outras

Quando decidi estudar chinês, meu objetivo não era somente passar tempo fazendo algo que gosto (realmente gosto de idiomas, confesso!), nem tampouco acrescentar uma língua ao meu CV. Minha idéia ia muito além disso. Poder se comunicar com os locais é indispensável para se conhecer de verdade qualquer destino. E, fora isso, conhecendo-se a língua adquire-se alguma noção de como as pessoas pensam. Se eu quisesse tirar desta viagem algo além de um turismo superficial, estudar o idioma seria aparentemente uma boa estratégia. Estudar na China, então, com professores chineses e imersa na cultura local, teria de ser uma experiência ainda mais enriquecedora.

De fato, desde que o curso começou, em cada aula venho aprendendo não somente o idioma, mas bastante sobre a cultura deles, sobre a sociedade chinesa, sobre as dificuldades e as ambições da nova geração. Meus três professores são jovens, entre seus 24 e 30 anos. Todos formados em ensino do idioma chinês, e todos com um bom nível de inglês (indispensável para o meu caso, iniciante dentre os iniciantes no chinês)! Um deles é rockeiro, tem cabelo comprido, abandonou o curso de matemática para ensinar chinês a estrangeiros e tem todas as dicas dos melhores lugares da cidade. É o cara. Minha outra professora, cuja família mora em uma cidade vizinha, fez 25 anos semana passada e está preocupadíssima em casar de uma vez. Me leva para conhecer os restaurantes mais apimentados da cidade. O terceiro vem da província mais fria da China, ao norte de Beijing. É “grande” para os padrões chineses, e vem de uma família de professores. Cada um já me contou um pouco da sua vida, dos estudos exagerados para se entrar na universidade, do seu engajamento político, do quanto gostaria de visitar o exterior mas não consegue, das diferenças culturais entre o norte e o sul do país, das diferenças entre chineses e estrangeiros, etc etc etc… difícil compartilhar com vocês tanto de tanto!

Mas hoje, mais do que tudo, tive a prova de que meu feeling não estava errado. Tive uma aula apaixonante com um dos meus professores (o rockeiro), e seria injusto não mostrar a vocês porque estar aqui está valendo tanto à pena. Para alguns de vocês, talvez a maioria, isto pode não ser tanta novidade. Mas para mim, iniciante que sou na medicina tradicional e na filosofia chinesas, grande parte do que ouvi era novo! E, além disso, não é todo dia que se escuta um chinês falar sobre uma sabedoria milenar que, de alguma forma, tenta explicar o mundo em que vivemos. Nessa aula falamos sobre “Os Cinco Elementos”.

Madeira, Fogo, Terra, Metal e Água: são estes os cinco elementos que constituem a energia de todo o universo. Em cada parte estão presentes, seja no macro ou no micro. Tais energias interagem e reagem entre si de formas diferentes, cada uma produzindo resultados diferentes.

Meu professor falou de dois tipos de interação entre essas energias, uma de criação e outra de destruição:
Criação – a madeira alimenta o fogo, que alimenta a terra (em forma de cinzas), que forma o metal, que contém água que, por fim, hidrata a madeira.
Destruição – a madeira retém a terra, que absorve a água, que apaga o fogo, que derrete o metal que, por fim, corta a madeira.

Ele também mostrou que cada elemento corresponde a um órgão no corpo humano, a uma cor, a uma estação do ano e a uma direção.

  1. Madeira – Fígado / Verde / Primavera / Leste
  2. Fogo – Coração / Vermelho / Verão / Sul
  3. Terra – Baço ou Pâncreas / Amarelo / Outono / Centro
  4. Metal – Pulmão / Branco / Inverno / Oeste
  5. Água – Rins / Preto / Ponto intermediário entre estações / Norte

Ele rabiscava no quadro enquanto falava empolgado. Eu, calada, tentava acompanhar o volume de informação e tirar algum sentido de tudo isso.

Vejam só:

Os Cinco Elementos
Os Cinco Elementos

Nessa aula descobri que existe um universo de conhecimento e sabedoria interessantíssimo, que vale à pena ser pesquisado. A aula realmente abriu meu apetite para a Medicina Tradicional Chinesa e o Feng-Shui. Saí de lá com gostinho de “quero mais”!

É por essas e outras que está sendo realmente incrível estar aqui…

This entry was posted in Viagens. Bookmark the permalink.

16 Responses to Por Essas E Outras

  1. Samildes Magalhães says:

    Oi, Chan .
    Estou feliz em retornar ao blog depois de um tempinho fora da estação planetaria…hahahaha. Mais feliz ainda de ler esse post e é “por essas e outras”que lhe digo que esse é um caminho sem
    volta… Claro!! por ser Maravilhoso!!!! Acabo de voltar de um curso de freqüência de brilho em regime interno de 14 dias!!!!! Coisa de quinta dimensão, onde vc trabalha o tempo todo só com a energia… fantástico. Fico na torcida e aguardando mais notícias sobre.
    Mil bjs cheios de saudades
    Sami

    • admin says:

      Saminha, bem vinda de volta! Sempre bom te ter por perto, na nossa dimensão! Deixa a quinta pra depois!!! Eu não dou conta das 3 dimensões na qual vivemos, nem posso imaginar o trabalhão que seria uma a mais!!!
      Beijo grande!

  2. Willy Chen says:

    Huauuu… uma joia rara você é. Chantal não é turista de bate ponto e ir embora neh.
    Com intenção de estudar a medicina oriental na China, pode mudar o rumo da vida, é um jogo de longo prazo. Creio levar mais 15 anos para ser iniciante. Mas para capturar conhecimento, nada impede sua vida que já está em andamento. Vejo jovem ocidental estão compreendendo mais a teorias do que jovem oriental. Aqui na Cosme Velho tem um associação Taoismo, fundador mestre Wu era amigo meu, o filho dele progrediu uns anos e faleceu também, mas criou muitos muitos brasileiros que entendem assunto e virou mestres. Luciano Villanovas é um bom exemplo, fala e escrever chinês tradicional perfeitamente.
    Bjs, Willy 1216.1432

    • admin says:

      Hehe… pois é, se eu puder ser turista com tudo o que tenho direito, prefiro!!! Só assim a gente conhece!!!
      Medicina Tradicional Chinesa é uma das coisas mais interessantes que já vi. O pouco que conheço me instiga a conhecer muuuuito mais!
      E vejo também que a garotada daqui não quer saber muito disso, não… talvez seja nosso papel, no Ocidente, resgatar isso!
      Beijo grande!

  3. Marcia Barros says:

    Bacana, Chantal, vc enriquecer a percepção do sutil direto na fonte. Isso é que ser esperto de verdade. Parabéns, sua danada!!!como menciona o Willy, é muito auspiciosa a sabedoria que passa o Taoísmo. Agora o sacerdote está estudando conosco os hexagramas do I Ching: humildade, estagnação, paz, aproximação, entusiasmo… Bj no coração

    • admin says:

      Marcitcha, esse I Ching é outro mistério! Já entrou na lista do que quero estudar… Impressionante, minha lista já transbordou. Vou precisar de mais algumas vidas para dar conta de tudo…
      Beijão!

  4. Marise says:

    Uau Chan! Que maravilha! Vou mostrar pros meus sócios da Quinto Elemento Produções Artísticas LTDA. Rsrsrs Fai fundo amiga!! Bjão!

    • admin says:

      Marisoca! A sua empresa se chama “Quinto Elemento Produções Artísticas Ltda”? Que nome auspicioso!!! Você deve ser o Metal do grupo!
      Beijo grande!

  5. Dina says:

    Adorei o desenho….saudades!

    • admin says:

      Dininha!!! Que bom ver você aqui!
      Esse desenho é a sua cara, Di! Saudades também e apareça mais por aqui!

  6. jorge langone says:

    e eu, aqui, recebendo suas lições daí. beijos

    • admin says:

      hehe!!! Isso é para despertar vocês a virem aprender aqui também!
      Beijo grande!

  7. Silvana says:

    Chant Shen Shen, voce é demais, to achando que não volta tão cedo, já arrumou uma forma de ganhar dinheiro por ai?

    • admin says:

      Hehehe… não, Sil. Mas, sinceramente, isso não seria problema aqui. No máximo, poderia dar aulas de inglês, que é o que todos os estrangeiros fazem aqui. O que os chineses mais querem no momento é aprender a falar inglês, não haveria problema em encontrar esse tipo de trabalho.

  8. Oi Chan! Que barato esse contato seu com a Medicina Tradicional Chinesa. Eu, particularmente, também tenho muito interesse em estudá-la. Mas por aqui no Brasil é mais complicado. E como você está “bebendo direto da fonte”, mande bala! E depois ensine pra gente…rsrs!!
    Grande beijo,
    Cela

    • admin says:

      Oi Cela! Puxa, quem me dera saber tanto a ponto de ensinar! Rsrs. Se quiser esperar uns 10 ou 15 anos, talvez eu aprenda alguma coisa! Rsrsrs
      Ou quem sabe não montamos um grupo de estudo juntos aí no Brasil?!
      Beijo grande!

Comments are closed.