O Que Eles Dizem – 1

Já se foram quase 4 meses na China. Não posso dizer que compreendo o país, ele é gigante e eu só vi uma parte muito pequena. Seria quase como dizer que um turista que passa 4 meses em Friburgo pode conhecer o Brasil. Impossível.

Por essa razão, tentei buscar entender mais. Dei uma de jornalista, formulei algumas perguntas e solicitei que alguns chineses que conheci respondessem. Até agora, quatro me enviaram as respostas. Todas elas têm um bom nível de inglês (as perguntas estavam em inglês), e isto por si só já torna minha amostra muito pouco representativa da sociedade chinesa. Mesmo assim, considero válida a pesquisa. Ela ajuda a entender esse país tão interessante e complexo.

Aí vai a primeira compilação (duas respostas):

  1. Idade
    1. 26
    2. 25
  2. Sexo
    1. Feminino
    2. Feminino
  3. Solteiro/Casado/Separado
    1. Solteira
    2. Solteira
  4. Cidade/Província de origem
    1. Henan
    2. Liuzhou
  5. Profissão/Estudos
    1. Professora
    2. Professora
  6. Já viajou para fora da China? Se sim, para onde?
    1. Não
    2. Não
  7. Quer viajar para fora da China? Se sim, para onde?
    1. Sim: Paris e América
    2. Sim: Estados Unidos
  8. O que costuma fazer em seu horário livre?
    1. Assistir filmes e ler livro.
    2. Eu sou uma menina caseira, costumo ficar em casa dormindo ou usando o computador.
  9. Você lê notícias nacionais? E internacionais?
    1. Sim.
    2. Sim, gasto pelo menos 1 hora por dia lendo.
  10. Uma mulher bonita:
    1. 金喜善 Jin Xi Shan
    2. GongLi
  11. Um homem bonito:
    1. 王力宏  Wang Li Hong
    2. Paul Walker
  12. Quantas horas/dia gasta na Internet?
    1. 15 h/semana.
    2. 1 h/dia da semana, 3h a 4h por dia nos finais de semana.
  13. Você tem algum sonho? Se sim, pode compartilhar?
    1. Sim, quero viajar para muitos lugares.
    2. Sim, ter muito dinheiro e tempo para estudar muitos idiomas. Se eu puder viajar para aprender nos outros países, melhor.
  14. Quem são as 3 pessoas na história que você mais admira? Por que?
    1. Zhou Enlai, Mao Ze Dong, Soong Ching-Ling e Shun Zhong Shan. Porque tiveram grande contribuição à nova China.
    2. 诸葛亮-Zhuge Liang porque é muito esperto, 李白-Li Bai porque é talentoso e livre, 林微音-Lin Wei Win porque é bonita, esperta, batalhadora e tem um lindo amor.
  15. Como você vê sua vida daqui a 5 anos? E daqui a 10 anos?
    1. Espero estar melhor e casada.
    2. Não sei
  16. Você acha que o mundo está melhor do que a 10, 20 ou 50 anos atrás? E a China?
    1. Sim, acho que sim.
    2. Sim, o mundo está sempre se desenvolvendo
  17. Qual diferença existe entre crescer hoje e crescer na época em que você cresceu?
    1. Há muitas diferenças. Quando eu crescia, não me importava com nada. Agora preciso considerar minha idade.
    2. (Resposta não compreendida)
  18. Você pode compartilhar uma boa e uma má lembrança de sua infância?
    1. Boa lembrança: eu fiz uma porção de coisas interessantes com equipamento elétrico. Má lembrança: meu pai costumava se embriagar e “perder a cabeça”.
    2. Boa lembrança: Minha mãe sempre me colocava nas suas costas.
  19. Como você define uma “vida boa” ou uma “vida bem sucedida”?
    1. Uma boa vida deve ser feliz e poder ajudar os outros.
    2. Uma boa vida é você finalmente encontrar o seu caminho. Uma vida bem sucedida é você ter ou ganhar muito dinheiro e fazer uma porção de idiotas te admirar.
  20. Você poderia viver sem arroz? 🙂
    1. Sim, posso. (Obs minha: ela é do norte da China, onde come-se mais noodles que arroz)
    2. Tá de brincadeira comigo! É claro que não!
Posted in Viagens | 2 Comments

Casamento Chinês

Fui convidada, neste último final de semana, a participar do casamento de um amigo do meu professor. O casamento aconteceu fora da cidade, a duas horas de Guilin. Uau, presenciar a cerimônia de um casamento em plena China?! E mais, um casamento tradicional, como provavelmente se fazia há anos e anos atrás? Que oportunidade!

Saímos de Guilin às 9:30h da manhã e viajamos de carro, por entre as montanhas da região, por quase uma hora e meia. Chegamos na beira de um lago e aí estacionamos junto a outros carros de prováveis convidados. Não vi nenhum salão de festas, nenhuma casa, nenhum sinal de casamento. Somente um barco ancorado no lago, com dezenas de pessoas dentro. Foi então que percebi que o barco seria nosso próximo veículo. Dito e feito: subimos no barco semi-lotado e navegamos por mais meia-hora. Um vento frio não nos deu sossego durante o trajeto, eu já não sentia mais os dedos dos pés.

Quando o barco ancorou em uma pequena vila à beira do lago, fogos de artifício nos receberam e, pouco tempo depois, percebi uma música diferente ao fundo. Uma banda nos recepcionava! E foi assim a cada vez que um novo barco trazendo convidados chegava!!!

A Banda
A Banda

O casamento foi diferente de tudo o que eu poderia imaginar! Nada de terno e gravata, vestido longo ou salto alto, madrinhas ou padrinhos. Nenhum líder religioso para realizar a cerimônia, nenhum salgadinho, nenhum drink. Mais parecia um almoço de domingo na casa de amigos. Na varanda da casa, algumas “lareiras portáteis” e, ao reder de cada uma, as pessoas tentavam espantar o frio. Sentadas, conversando, comendo semente de girassol ou maçã e tomando chá. De vez em quando vinha um membro da família oferecer, em uma bandeja, cigarros avulsos.

Na entrada da casa, um senhor, talvez o pai do noivo ou da noiva, recolhia os envelopes vermelhos dos convidados que chegavam e anotava os nomes em uma lista. Este é o presente de casamento: um envelope vermelho com dinheiro dentro. Como agradecimento, o senhor entregava um pequeno envelope, também vermelho, com um pouco de dinheiro dentro.

Contando Envelopes Vermelhos
Contando Envelopes Vermelhos

No momento que parecia a cerimônia, a música recomeçou. A noiva saiu do quarto em um vestido vermelho e foi conduzida pelo noivo até o centro da varanda. Lá, depois de uns cinco minutos, dos quais dois o noivo passou falando ao celular, a cerimônia já parecia ter terminado. Nenhuma formalidade!

Cerimônia
Cerimônia

Chegada a hora do almoço, comemos o de sempre: hotpot (uma casserola no centro da mesa com sopa e carne, legumes, batatas, entre outros) e, claro, arroz!

Depois de comer, jogamos conversa fora por mais uma meia-hora até chegar a hora de partir. Eu, naturalmente, mais ouvi que falei. Na despedida, a banda recomeçou a tocar e nos acompanhou até a entrada do barco. No barco, quase todos, sentados ou de pé, cochilavam. Eu, inclusive!

A Banda - Momento da Despedida
A Banda - Momento da Despedida

Minha primeira participação em um casamento na China foi assim! Impossível de imaginar, não é mesmo?! Uma cultura tão desconhecida… sempre fomos assim tão diferentes?!

Posted in Viagens | 4 Comments

Como Se Tornar Um Chinês

Não é tão fácil virar chinês de um dia para o outro. Transformar sua aparência física e aprender o idioma serão, sem dúvida, seus dois maiores desafios. Mas, caso você realmente queira ser mais um dentre os 1.3 bilhão já existentes, aí vão algumas pequenas, embora valiosas, dicas que podem facilitar sua vida!

  1. Aprenda a gostar de arroz, ele será seu amigo inseparável, companheiro das horas mais solitárias. De manhã, de tarde e de noite.
  2. Arranje um nome chinês. Nada de Carla, Clarice, Isabela ou Tatiana. Nem Paulo, Roberto, João ou Antônio. Aqui esses nomes não colam! Nomes compostos, então, nem pensar!
  3. Aprenda a jogar (e a gostar de jogar) cartas, Mahjang (xadrez chinês) e outros jogos de tabuleiro. Chinês que é chinês sabe jogar, e bem, estes jogos!
  4. Esteja disposto a comer de tudo. Isso poderá ser de grande ajuda.
  5. Aprenda a não se intimidar com perguntas intrusivas do tipo: quantos anos você tem, é casado(a), quanto ganha no mês, quanto custa seu aluguel, etc… Segundo eles, isso “… cria intimidade e estreita laços de amizade”.
  6. Caso opte por manter sua aparência original de laowai (estrangeiro), precisará reduzir sua sensibilidade aos olhares alheios e aceitá-los com toda a naturalidade. Eles serão muitos e frequentes, te acompanharão sempre!
  7. Considere fazer algumas aulas de canto e aprender um bom repertório de músicas chinesas. Fora “sair para comer”, KTV (Karaokê) é o programa preferido da noitada.
  8. Se comer com chopsticks é um desafio para você, comece agora mesmo um curso intensivo! Ou faça como os indianos e coma com a mão (neste caso, se certifique antes de estar confortável com os olhares alheios mencionados no item 6 acima).
  9. QQ. Chineses podem não ter email, Skype ou MSN, mas não há quem não tenha uma conta QQ. Abra a sua e decore seu número (sim, aqui seu login é um número. O meu tem somente 10 dígitos, mas o que é decorar 10 dígitos para um chinês?). Aprenda a usar o QQ para tudo: não envie emails, envie QQ. Ah, e quanto ao facebook, é melhor esquecer que ele existe. Aqui ele é bloqueado.
  10. Aprenda a compartilhar o que há de mais profundo em você: seu catarro (desculpem-me, mas não encontrei palavra mais amena). Deixe de lado aquele velho costume de não cuspir na rua, tão bem ensinado por seus pais, e encare-o como se fosse um espirro ou um bocejo. Além do mais, ele enriquecerá a sonoplastia do seu dia.
  11. Filas: aqui também será necessário praticar seu desapego aos velhos costumes. Se quiser ser atendido, nada de muita educação: não forme filas, não dê a vez aos outros e brigue fervorosamente por seu lugar ao sol.
  12. Evite falar de política, um assunto controverso e, digamos, um tanto perigoso.
  13. Saiba fazer bom uso do seu pijama. Não o subestime, ele pode ser usado durante muitas ocasiões fora dormir! Use-o para ir ao mercado, para fazer aquele passeio matinal ou mesmo para ir ao restaurante.
  14. Quando encontrar um conhecido na rua, pergunte-o “Você já comeu?”. Esta é uma forma de saudação extremamente utilizada! A comida aqui tem um significado e uma importância especiais, representa muito mais que simplesmente “… algo necessário para a própria sobrevivência”!
  15. Compre um celular imediatamente, caso ainda não tenha um, e descubra como aqui na China ele será seu verdadeiro parceiro de vida. Você passará mais tempo com ele do que com qualquer homem, mulher, bicho de estimação ou até mesmo arroz.

Para os meninos:

  1. Nunca, meninos, nunca roube um beijo de uma menina sem antes avisá-la, ok? E tomem cuidado na hora de segurar a mão dela. Se não estiverem namorando, isso será um pedido de namoro ou pode até ser interpretado como um pedido de casamento!
  2. Se pretende casar com uma chinesa, compre um carro, um apartamento e tenha um dinheirinho extra. O carro e o apartamento são para causar boa impressão aos pais da noiva. O dinheirinho é para oferecer a eles em troca da filha.
  3. Se você não fuma, considere começar. Fumando você se sentirá mais integrado à sociedade.
  4. Se for convidar uma menina para sair, três possibilidades: comer em um restaurante, KTV (Karaokê) ou “dar uma volta de carro pela cidade”.

Para as meninas:

  1. Nunca pegue sol. Quanto mais branca, mais bela será! No verão, tenha sempre à mão seu guarda-sol.
  2. Se estiver acima do peso, aconselho entrar em uma dieta. As roupas aqui são tamanho baby-look, não será fácil comprar algo compatível.
  3. Se você fuma, evite fazê-lo em público. Não é considerado elegante.
  4. Se for convidada por um menino para sair, nunca pague a conta. Isso é tarefa deles.
  5. Se seu cabelo não tiver franja, considere fazer uma. Irá se sentir mais à vontade.
  6. Se não usar óculos, considere comprar somente a armação e use-a para incrementar seu visual.

Ao princípio, isto tudo pode parecer um grande esforço. Mas, na verdade, uma pitada de flexibilidade e de disposição serão suficientes. Além disso, as recompensas não serão poucas. Viver na China, para muitos, pode parecer o “fim dos tempos”. Como todo lugar, de fato aqui há diversos problemas. Mas, garanto a vocês, esta sociedade também tem muito a oferecer!

Posted in Viagens | 6 Comments

Segundo O Tao Te Ching, Estou Lascada…

Ao que parece, o Tao Te Ching é o livro mais traduzido da história, com exceção da bíblia! É um pequeno livro, de 81 capítulos curtos e 5.000 caracteres chineses, escrito por Lao Tse, uma das personalidades na história chinesa e de grande influência no pensamento Taoísta .

O livro, também chamado de “O Livro do Caminho e da Virtude, é um clássico. Como vir à China e não me aventurar adentro de mais esta viagem!? Há algumas semanas atrás li-o pela primeira vez (em inglês, claro)! Ler, tudo bem… mas daí a entender são outros quinhentos! E olha que ainda dizem que a tradução é bem mais fácil que o original…

Bem, seja como for, este é o tipo de livro que, não importa quantas vezes o leia, sempre vai aprender algo. Um verdadeiro livro de cabeceira, que merece ser lido e relido umas quantas vezes.

A seguir, dois capítulos, 48 e 47, que me despertaram a atenção.

Capítulo 48 (em tradução livre):

Em busca de aprendizado, a cada dia se aprende algo novo.
Em busca do Tao, a cada dia algo é abandonado.
Menos e menos é realizado
Até que a não-ação é alcançada.
Quando nada é realizado, nada precisa ser feito.
O mundo é governado quando as coisas tomam seu próprio rumo.
Não se pode governá-lo interferindo-se nele.

O original em inglês:

In the pursuit of learning, every day something is acquired.
In the pursuit of Tao, every day something is dropped.
Less and less is done Until non-action is achieved.
When nothing is done, nothing is left undone.
The world is ruled by letting things take their course.
It cannot be ruled by interfering.

Talvez este capítulo seja um protesto ao acúmulo descompensado de conhecimento que tendemos a acreditar ser sinônimo de sabedoria. Será que nossas crianças devem passar tanto tempo nas escolas?

O capítulo 47 mexeu comigo. Como dizem por aí: a carapuça serviu. Aí vai ele (também em tradução livre):

Sem sair de casa, você pode conhecer o mundo inteiro.
Sem olhar através da janela, você pode ver os caminhos do céu.
Quanto mais longe você vai, menos você sabe.
Portanto, o sábio sabe sem viajar;
Ele enxerga sem ver.
Ele trabalha sem realizar.

O original, em inglês:

Without going outside, you may know the whole world.
Without looking through the window, you may see the ways of heaven.
The farther you go, the less you know.
Thus the sage knows without traveling;
He sees without looking;
He works without doing.

Mexeu comigo. Em plena viagem, ler isso?! Estou lascada…

Posted in Viagens | 10 Comments

Pendurados

Algumas imagens do que andei vendo pela China…

Na cidade de Shangri-Lá, em um templo budista:

Bandeirolas Em Um Templo Budista
Bandeirolas Em Um Templo Budista

Em Lijiang, na província de Yunnan:

Para Dar Sorte
Para Dar Sorte

Lanterna Vermelha
Lanterna Vermelha
Secando Pimenta
Secando Pimenta
Milho Em Casa De Uma Aldeia
Milho Em Casa De Uma Aldeia
Secando Roupa No Quintal
Secando Roupa No Quintal

Secar roupa no quintal da casa, tudo bem. Mas… na rua também?

Secando Roupa Na Rua
Secando Roupa Na Rua
Limpando Edifício
Limpando Edifício

Reparem que, na imagem acima, não são 1 ou 2 profissionais trabalhando. São 6!!! A China é assim: tem gente demais, não importa aonde!

Abaixo, cena mais do que comum em alguns lugares. Em Guilin, por exemplo, no prédio à frente do meu, todas as varandas têm uma carne exposta ao sol.

Charque Chinês
Charque Chinês
Posted in Viagens | 4 Comments

Mais Um Pouco De Chinglish

Para se divertir aqui na China não é preciso muito. Basta colocar o pé fora de casa e as situações aparecem sem muito esforço! Seja com algum chinês curioso que te analisa dos pés à cabeça e ainda esboça um “Hello!”, seja caminhando na rua e observando as placas (como na foto abaixo)…

Tolies
Tolies

… ou seja em um simples jantar em um restaurante. Esta nos rendeu excelentes gargalhadas!!!

Shices, Branrn, Stin-Fried e Egges
Shices, Branrn, Stin-Fried e Egges
Tomtato, Laver e Conns (alguém???)
Tomtato, Laver e Conns (alguém???)
Stran Hat
Stran Hat

Essa foi deliciosa!!! Ou melhor, PELICIOSA!

Pelicious!!
Pelicious!!

Fride Nice
Fride Nice

E a melhor da noite:

Rovioli, Rouioli ou Navioli?
Rovioli, Rouioli ou Navioli?

Posted in Viagens | 2 Comments

Ainda Guilin

Agora são 08:00h e em 20 minutos começa mais uma semana de estudos de chinês. Choveu durante toda a noite, mas apesar disso nos últimos dias o frio já não tem mais castigado tanto quanto antes: lá fora o termômetro marca 8˚C.

Nos dias bonitos e relativamente agradáveis (para um inverno), Guilin nos presenteia com um belo visual:

Vista da cidade
Vista da cidade
Parque em Guilin - Que Cores
Parque em Guilin - Que Cores
Ainda no Parque - Lindo!
Ainda no Parque - Lindo!

Nessas últimas semanas não tenho podido nadar, já que a única piscina financeiramente acessível da cidade fechou as portas durante o inverno e só reabre em março. Para não ficar parada e lutar contra o arroz e sua incrível capacidade de se acomodar em cada canto do meu corpo, tenho acordado 1 hora antes do previsto para correr. Tenho que confessar: não amo correr, mas, sim, a sensação pós-corrida. Mas nunca, nem no calor mais insuportável do Rio de Janeiro!, uma corrida foi tão desafiadora quanto aqui: correr no frio de 1˚C, de underwear e luvas, não é algo que do qual vou sentir saudades. Hoje de manhã, felizmente, a chuva me eximiu dessa árdua tarefa.

Mas existem alguns mais guerreiros que eu. Para eles tiro meu chapéu. São os seguidores (se assim posso chamar) de uma Escola de Estudos de Confucius que tem em frente ao prédio onde moro. A praticamente cada manhã, inclusive nas mais frias do ano, quando ainda está escuro e por vezes chove, uns 20 deles se reúnem no pátio da escola por mais de 1/2 hora para orar e recitar alguns versos em chinês que não compreendo. Estes, sim, são corajosos: enquanto eu corro do frio, eles enfrentam o frio praticamente parados!

Cerimônia Na Escola de Confucius
Cerimônia Na Escola de Confucius

Uma curiosidade: “China” em chinês se chama Zhong Guo (中国), que quer dizer o “país do meio”. Imaginam o por quê? Bem, o que me foi dito é que, para os chineses, a China é o centro do mundo. Alguns podem achar isso arrogante, mas sinceramente eu não acho diferente do que acontece nos outros países. Acho que os habitantes de cada país consideram, bem ou mal, seus países como o centro do mundo. Não que os outros países não sejam importantes mas, sim, de fato estão mais distantes, e a distância enfraquece as relações. O que achei interessante aqui é que o mapa deles reflete essa idéia. Aqui nunca vi um mapa-mundi igual ao que estamos habituados no ocidente. Vejam só a foto que tirei no aeroporto de Kunming:

Mapa Na China
Mapa Na China

Nesse dia, aliás, quase perco o vôo. O avião tinha atrasado, e o saguão estava lotado. Fiquei esperando um pouco afastada do gate, atenta ao alto-falante. Mas os danados só anunciaram o check-in em chinês, imaginem só! Desnecessário dizer que não entendi patavinas… sorte que eu, desconfiada que sou, lá pelas tantas fui conferir. Entrei e encerraram o check-in! Foi por um triz…

Posted in Viagens | 4 Comments